Cinco meses se passaram… e o Brasil continua bem na foto

maio 10, 2009

“Brasil capta US$ 750 milhões no exterior com o segundo menor juro da história”, é a manchete da Agência Brasil.

É interessante que, há 5 meses, postei aqui (“Investidores internacionais têm mais segurança no Brasil“) sobre previsões contrárias de um analista estrangeiro:

“Melhora do ambiente de crédito (internacional) é temporária, diz Nick Chamie”, da Agência Estado

“Para Chamie, os países emergentes enfrentarão a concorrência acirrada com títulos de dívida de países industrializados.”

Ah sim! Sei quais!.. Aqueles que estão pagando – e irão pagar durante um bom tempo – juros nominais zero ou 0,5% ao ano, não é!? São os títulos daqueles governos em déficit na casa das centenas de bilhões e que já estão atolados até o pescoço de dívidas? Tá, entendi…

“Chamie afirmou que, no momento atual, ainda é muito cedo para que os investidores voltem a alocar recursos em mercados emergentes.”

Bom, Mr. Chamie, goste você ou não, o fato é que eles estão colocando dinheiro aqui.

Quando (como assim, ‘quando’!?) os investidores decidirem retornar aos mercados emergentes, o que deve demorar algum tempo (ahn!?), o Brasil, na visão de Chamie, não figuraria como um dos países que estariam em melhor posição para absorver esses recursos. O México, por exemplo, estará mais bem posicionado.”

Mr. Chamie… Não é o que os números estão dizendo!

Vamos ver como se comportam os investidores internacionais daqui para frente, mas, por enquanto, nada indica que o Brasil esteja mal visto assim… Pelo contrário.

Nada como um dia após o outro…

Anúncios

A economia como ciência humana

maio 6, 2009

É interessantíssimo observar como os pensamentos humanos têm uma propensão a passar de um extremo a outro com assombrosa rapidez e facilidade: “BC: parte do mercado já crê em recuperação dos EUA“.

Há poucas semanas o mundo havia acabado…

Mais interessante é observar como estas peculiaridades da mente humana influenciam a matéria de nosso estudo: a economia!


“Análise”: piadas econômicas da BBC!

maio 2, 2009

Análise: Crise financeira pode atenuar impacto econômico da gripe“. Esta reportagem me rendeu ótimas risadas!

A palavra “análise”, no início da manchete, eu achei particularmente fantástica! Muito boa a piada… (bom, eu espero que isso seja piada!!)

“Para alguns, o impacto [da gripe suína] pode ser bem grande, porque a economia global já se encontra em um estado de fragilidade por causa da crise financeira.”

“À primeira vista, este argumento parece sensato [sacou? só à primeira vista!]. Poderíamos até dizer que o sistema imunológico da economia global está muito debilitado para lidar com acabar com [sic] esta doença.”

“Mas o oposto também pode ser verdadeiro. O custo econômico do surto deste vírus pode ser, na verdade, menor do que se ele tivesse acontecido em um momento diferente. Isto porque grande parte dos ganhos de produtividade que poderiam ser perdidos por causa do vírus já foi perdida para a recessão econômica.”

“O oposto também pode ser verdadeiro”… Me lembrou aquela historinha da física quântica pra leigos: um coelho (ou sei lá qual bicho) dentro de uma caixa, antes de abri-la, pode estar vivo e morto ao mesmo tempo!

Ta aí!… Física quântica aplicada à economia! Muito bom, muito bom…

Ah, e repare os “ganhos de produtividade que poderiam ser perdidos”!

“Para colocar de modo mais simples, se, por causa da epidemia, pessoas desempregadas são obrigadas a ficar em casa por algumas semanas, isto tem um custo econômico menor do que se elas tivessem empregadas.”

É, e isso é bom porque elas não ficam frustradas por estarem desempregadas. Elas não podem sair de casa pra procurar emprego mesmo!! Gente, que maravilha!

“Além disso, se, graças à crise econômica, as pessoas já estão indo menos a restaurantes, cinemas, entre outras coisas, a queda no consumo por causa da gripe acaba sendo menor do que se ela tivesse aparecido em outra época.”

Resumindo: a coisa está tão feia, que não tem como piorar!! hahaha Não é ótimo!?

E você achou que eles acabariam por aqui?

“É claro que não podemos ir muito longe com este argumento [não se anime, continue lendo]. Qualquer pandemia que mate milhões de membros da população economicamente ativa teria um enorme impacto de longo prazo em nossa produtividade potencial [ahn!?], não importando se elas estivessem empregadas ou não.”

Meu Deus…

“Esta previsão se baseia na suposição de que a eventual epidemia tenha as proporções da chamada ‘gripe espanhola’, de 1918, que infectou quase um terço da população mundial e matou cerca de 50 milhões de pessoas. O estudo diz que um surto desta magnitude levaria o mundo a uma depressão.”

Estou começando a achar que essa coisa de jornalista querer comparar tudo com o início do século passado (1929, por ex) é uma “pandemia” ou algo do tipo!!

Olha… Pensando bem, essa gripe suína vai ser ótima! O setor de varejo e de alimentos vai faturar muito alto, pelo menos no curtíssimo prazo! Bom, depois eu explico essa minha previsão… Agora deixa eu terminar este post que tenho que ir correndo pro supermercado estocar comida!


Quem quer dinheiro!?

abril 9, 2009

Empresas vão propor ao governo desoneração da banda larga móvel

Virou festa esse negócio, é? Ei, Silvio, eu também quero!

PS.: até que enfim acabaram as provas no Ibmec, a famigerada “semana P1”!

PS 2.: sim, eu estava vivo esse tempo todo…

PS 3.: espero que essa noite eu não sonhe com modelo de Cagan e nem Hecksher-Ohlin de novo!


Perdendo as referências…

março 25, 2009

Estamos nos deparando com cifras tão malucas e estratosféricas com esta crise que eu estou perdendo meus parâmetros.

Quando vejo algo como R$60 bilhões, fico achando que é pouco dinheiro…

Estou tendo que pensar assim:

R$60 bilhões, hum… São R$60.000 milhões! Ah tá, é muuuuita grana!


Que novidade!

março 11, 2009

Pra ler notícia velha, não precisa de uma nova publicação. Basta buscar nos arquivos dos jornais. Então porque é que divulgam uma manchete assim:

Queda do PIB mostra que Brasil não ficou imune à crise, diz economista

Por favor, isso é novidade pra alguém!?

Outra coisa:

“Isso quer dizer que, na frente, teremos um cenário que pode trazer maior recuo do nosso PIB [soma de todos os bens e riquezas produzidos no país].

Eu quero acreditar que estes colchetes foram adicionados pelo jornalista, e não pelo economista entrevistado.

Se o PIB fosse a soma de todos os bens e riquezas produzidos no país, o PIB brasileiro seria muito, mas muito maior do que o divulgado pelas estatísticas. Um exemplo: um único carro produzido seria contabilizado diversas vezes nesta metodologia da Agência Brasil. Sim, pois contabilizaríamos o minério, o ferro, o aço até chegar à lataria do carro.

Da mesma forma, iríamos contar uma casa e mais o valor dos tijolos e demais materiais que compõem a casa. Tudo dobrado.

PIB não é a soma de tudo que é produzido no país. É a soma de todos os bens finais produzidos dentro do país. Nos bens finais já estão contabilizados os primários e intermediários. Não podemos contar duas vezes, não é mesmo?


Esqueceram da internet!

fevereiro 21, 2009

“A economia global pode estar se deteriorando mais rapidamente que no período da Grande Depressão, disse o assessor do presidente norte-americano, Barack Obama, Paul Volcker.”

“Eu não me lembro de nenhuma época, talvez nem mesmo na Grande Depressão, em que as coisas foram para baixo tão rápida e uniformemente pelo mundo”, disse

Agora veja a manchete: “Assessor de Obama diz que crise pode ser pior que Depressão”

E eu também não me lembro de nenhuma época em que existia internet e telefone – ou seja, comunicação global instantânea – acessíveis a quase qualquer ser humano na face da terra!

Parece brincadeira. Agora querem comparar a crise de 2008 com 1929 por causa da “rapidez” e “uniformização” da comunicação mundial! Só pode ser brincadeira…