Confusão entre Spread e Selic

“A Selic não só reúne condições técnicas para cair mais fundamente (sic) como precisa cair para reduzir o spread bancário e normalizar o mercado de crédito doméstico.”

A reportagem é do Valor Econômico: “Análise: Ata pode frear ritmo de corte da Selic” (se não for assinante, leia aqui)

Vamos lá. Spread bancário é a diferença entre a taxa de captação de recursos paga pelas instituições financeiras e a taxa cobrada nos financiamentos concedidos pelas mesmas insituições.

No Brasil, o CDI é uma das principais taxas que medem o custo de captação dos bancos. Já demonstrei aqui que ele tem correlação de 99% com a Selic e expliquei o porquê disso.

Um exemplo prático e simplório para entendermos:

A – B = C

A = Taxa média cobrada pelos bancos

B = Selic ou CDI

C = Spread bancário

Se eu deduzir 1 da Selic (B), a taxa dos bancos (A) também deverá cair na mesma proporção. Então:

(A -1) – (B -1) = C  ;  A – 1 – B + 1 = C  ;  A – B = C

O Spread não muda. A não ser que (A) caia numa proporção maior do que (B). Isso só pode acontecer caso outros fatores – como a expectativa de inadimplência ou de inflação – também mudem, além da Selic.

Portanto: Selic mais baixa não reduz spread bancário!

A reportagem ainda usa o argumento de que a queda nos juros diminui a inadimplência, pois o custo dos empréstimos fica mais baixo. Mas já demonstrei antes (“Queda na Selic não muda crediário”) que a queda na Selic provoca uma diminuição relativamente desprezível dos juros na ponta do mercado de crédito. Relativamente, pois o spread já era tão alto e subiu tanto nos últimos meses que reduziu o peso da Selic.

A expectativa de queda na taxa de juros futura realmente pode estimular os empréstimos de longo prazo, como a matéria alega. Mas não podemos subestimar o poder que as incertezas têm neste momento sobre a disposição dos bancos em concederem empréstimos longos. Quanto maior o prazo do financiamento, maior é o risco

Dar segurança ao mercado surtirá muito mais efeito do que simplesmente reduzir a Selic de forma imprudente a patamares baixíssimos.

Anúncios

9 Responses to Confusão entre Spread e Selic

  1. Vítor Wilher disse:

    Fala Renato! Cara, a sua conclusão “Portanto: Selic mais baixa não reduz spread bancário!” não ficaria melhor da seguinte forma:

    SELIC é condição necessária, mas não suficiente para reduzir o spread bancário.

    Particularmente, eu tenho uma tese sobre o impacto da SELIC no mercado de crédito. Tanto pelo fato de a taxa de crédito ser reduzida frente ao PIB, tanto pelo fato de haver um abismo imenso entre a taxa básica e as taxas praticas no mercado, reduções na SELIC causam pouco (ou nenhum) impacto nas taxas que servem de referência para consumo e investimento.

    O fato é que as taxas para o consumidor e para o investidor são altas por uma série de outros fatores não interligados à taxa básica. Mas não é possível descartar a ligação da SELIC com esse problema, haja visto que os bancos constituem suas carteiras com títulos públicos muito além do que seria considerado normal.

    Assim sendo, a melhor forma de colocar essa relação – na minha modesta opinião – é dizer que ela (a SELIC) é condição necessária, mas não suficiente para reduzir esse spread.

    Abç
    VW

  2. Renato Byrro disse:

    Olá Vítor!
    É interessante seu ponto de vista. Refletindo sobre a sugestão que você me deu para a conclusão, eu percebi que realmente há um erro no meu post anterior: não apresentei números.
    Falei, falei, falei, mas não apresentei nenhum dado a respeito do assunto.
    Irei corrigir isso nos próximos dias. Vou fazer um estudo, mais simples mesmo, sobre Selic e spread e apresentarei aqui…
    Obrigado e um abraço,
    Renato

  3. Pedro Castro disse:

    Olá Renato.

    Primeiramente gostaria de dizer que já acompanho seu blog há algum tempo e gostaria de parabenizá-lo pela qualidade dos posts.

    Agora o comentário:

    Supostamente há uma demonstração de que queda na selic não causa redução no spread. Mas perceba que o argumento utilizado é tautológico, pois a premissa: “Se eu deduzir 1 da Selic (B), a taxa dos bancos (A) também deverá cair na mesma proporção” tem o mesmo valor propositivo da conclusão “Selic mais baixa não reduz spread bancário!”

    Pelo menos é como eu entendo.

    Sds,
    Pedro Castro

  4. Renato Byrro disse:

    Caro Pedro!
    Que bom que gostou do blog!.. Eu recebo ajuda de muitos para formar meus conhecimentos na área de economia, então comentários, sugestões e críticas são sempre muito bem vindos! Obrigado!
    Bom… Eu vou publicar um novo post nos próximos dias sobre esse assunto, mas com números, pois este aqui realmente ficou devendo isso. Eu falei mas não apresentei nenhum dado que comprovasse… Depois gostaria de saber o que você achou, ok!?
    Um abraço,
    Renato

  5. […] Nos próximos dias publicarei dados – e respectivas análises – sobre Selic e spread, que ficaram faltando no post “Confusão entre spread e selic”. […]

  6. […] mostrei no post “Confusão entre Spread e Selic”, que a queda de 1pp. na Selic equivale a uma redução de 0,075 pp. nas taxas mensais de captação […]

  7. […] Como já tratei este assunto aqui, acabei dando um giro na Internet, e tive a surpresa de que outra pessoa também viu essa falha do comentário, até bem antes de mim, nessa postagem. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: